sexta-feira, 2 de março de 2012

Filme mudo

Silêncios longos interrompidos por
"Não-sei-o-que-dizer"
Mesmo tendo tanta coisa a ser dita

E olha, não se trata de mentira ou medo!
De fato não se sabe o que dizer.

Do nosso amor mutuamente problemático,
Do nosso pecado recíproco e inexistente,
Das nossas falhas tão nítidas quanto justificáveis,
Do nosso medo tão íngreme que dá medo,
Do nosso encaixe tão óbvio que dá vontade.
Do nosso tempo tão mais lento que o dos outros,
Do nosso futuro tão página em branco,
Dos meus sonhos tão eu e você,
Dos seus sonhos tão mistério pra mim,
Da nossa idade tão pouca e tão certa,
Do nosso desencontro que não quer se desvencilhar,
Do nosso ontem lindo e anteontem exasperado,
De tanta coisa que já foi escrita e dita,
Não sabemos mesmo o que dizer.

Que fazer?
Esperar!
Esperar, que o tempo passa.
Esperar que o tempo passe a nosso favor.

2 comentários:

  1. E o tempo passa depressa...

    http://alinediedrich.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Pois é, fica o dito e redito por não dito.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário! Vou ler, e depois publico e respondo, ta?