quinta-feira, 7 de junho de 2012

O tempo



Há em sua alma
O amor triste-feliz
Há na sua calma
Euforia por um triz

Mora nos seus olhos
Um pedacinho do céu
Moça vira as costas
E o rapaz tira o chapéu

Vem com a vontade
De tudo fazer canção
Vem da tempestade
Tantas lágrimas em vão
Vem de observar
Cada ser (humano ou não)
Vem, veio e virá
Sem motivo e com razão

É chegado o tempo, enfim
É chegado o tempo,
Pelo menos para mim

A poesia tá gritando
Pra sair do papel
E eu grito a poesia
Porque eu sou menestrel

Chegou o arlequim
Tirando a maquiagem
O medo que havia em mim
Morreu pela coragem

Cantando, o arlequim
Desafina a gravidade
E já que a mentira é ruim
Bons ventos trarão a verdade

Menina, há calma
Nos olhos do tempo
Menina, acalma
Os olhos no tempo

Menina, vem, com a vontade
De tudo fazer canção
A calma vem da tempestade,
Tantas lágrimas em vão...
Os olhos vem de observar
Cada ser (humano ou não)
O tempo vem, veio e virá
Sem motivo e com razão

O tempo vem com a vontade
De tudo fazer canção
Os olhos vem da tempestade,
Tantas lágrimas em vão...
A calma vem de observar
Cada ser (humano ou não)
Menina vem, veio e virá
Sem motivo com razão


(Um ps sussurrado, mas enérgico: Feliz aniversário, Thaís. Tudo de melhor pra você hoje e sempre, de todo o coração.)

Um comentário:

  1. Obrigada, de verdade. Sabia que você não ia esquecer :)

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário! Vou ler, e depois publico e respondo, ta?